Mais uma edição do Altice International Innovation Award concluída

13/12/2019     AIIA 2019 / Altice International Innovation Award

« Voltar a notícias

« Anterior   /   Próxima »

imagem da notícia

A SIC Notícias, através do programa “Imagens de Marca”, acompanhou o “Dia D” do AIIA 2019 (Altice International Innovation Award), a 3ª edição desta iniciativa promovida pela Altice Labs. Veja aqui a peça e ouça os comentários de Alexandre Fonseca e de Alcino Lavrador.

No site da iniciativa pode ainda consultar todas as notícias sobre o AIIA e a infografia relativa a esta iniciativa coordenada pela Altice Labs.

Aproveitando o encerramento da edição deste ano, e fazendo um resumo do que já foi alcançado com as 3 primeiras edições, relembramos que tudo começou com o Prémio Inovação PT que nasceu com o objetivo de reforçar o posicionamento da Altice Portugal no desenvolvimento da inovação, criando condições para potenciar o talento nacional e divulgá-lo dentro e fora de portas. Depois do sucesso da primeira edição, em 2017, foi decidido alargar o seu âmbito e estender o prémio a outras geografias onde a Altice está presente, passando então a designar-se Altice International Innovation Award (AIIA) e abrangendo Portugal e França.

A nível nacional, distingue-se dos demais prémios de inovação pelo seu prémio monetário, um total de €75.000, assim como pelo facto de abranger duas categorias tão promissoras: academia e startups em fase de incubação.

Ao nível das parcerias, e de modo a aumentar o reconhecimento dos projetos finalistas do AIIA, assim como potenciar o seu sucesso, o AIIA tem, desde a sua génese, parceria com a iniciativa Born From Knowldege (BfK), da Agência Nacional de Inovação, iniciativa que reforça o valor científico e exploratório dos projetos finalistas portugueses.

Em 2017, na sua primeira edição, de entre as 33 candidaturas recebidas, venceram os projetos NeuroPsyCAD (categoria academia, focado na área do diagnóstico de doenças neuropsiquiátricas) e Mater Dynamics (categoria Startups, com o QStamp, um sensor inteligente num substrato flexível que permite a medição de diversas variáveis externas).

Em 2018, na sua segunda edição e já com âmbito internacional, de entre as 82 candidaturas recebidas, venceram os projetos Towards 5G: Tb/s Speed Telecom Payloads (categoria academia, consistindo num processador fotónico integrado num chip de silício para a aplicação na nova geração de satélites de telecomunicações) e FuelSave (categoria startup, focado no processamento de dados em tempo real e algoritmos de machine learning que permitem dar instruções, também em tempo real e num formato semelhante ao das indicações de uma aplicação de navegação, aos condutores de camiões no sentido de melhorar a sua condução e, deste modo, pouparem até 20% de combustível).

Já este ano de 2019, também com âmbito internacional e já na sua terceira edição, o AIIA recebeu um total de 90 candidaturas. Os vencedores, novamente ambos provenientes de Portugal, foram, na categoria Startups, a iLOF. Este projeto recorre a algoritmos de inteligência artificial, aplicados a big data, para potenciar o sucesso dos ensaios clínicos em doenças neurodegenerativas, nomeadamente nos doentes de Alzheimer, com vista a uma redução de custos e a uma seleção mais eficaz de pacientes. De reforçar que este foi também o vencedor do galardão BfK, da ANI.

Já na categoria Academia, o projeto vencedor foi Neural Motor Behaviour in Extreme Driving, que explora o cruzamento e a análise da informação recolhida sobre as reações neurocognitivas e neuromotoras, a fim de avaliar e prever a performance do ser humano em condições extremas de condução, de modo a tirar ilações que possam reforçar, entre outros, a evolução da condução autónoma.

« Voltar a notícias

« Anterior   /   Próxima »